segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Quando estamos a fazer compras em Hipermercados estamos a ajudar os pobrezinhos?


13 comentários:

Anónimo disse...

Wikileaks divulga 11º mandamento bíblico nunca antes ouvido

Depois de documentos militares, documentos diplomáticos e de documentos governamentais, o site Wikileaks anunciou agora que irá revelar o 11º mandamento – roubado não do Vaticano mas sim directamente do portátil pessoal de Deus – nunca antes revelado ao público.
Depois de milhares de anos a acreditarmos que existiam apenas 10 mandamentos que Deus terá ditado a Moisés, a Wikileaks revela esta semana que existe mais um mandamento secreto, eclipsado das tábuas originais por Barackus Obamus, um oficial romano meio escuro que era corporativista e que não gostava de Jesus porque ele queria pagar para ter seguro de saúde. Segundo o site, este novo mandamento versa algo como “Não comentarás fotografias da mulher alheia no Facebook” e a Igreja anda a escondê-lo há cerca de 562 anos, primeiro num Mosteiro em Espanha e mais recentemente, no fundo do sapato esquerdo da Prada de Bento XVI. A Wikileaks planeia para breve revelar ainda uma regra de boa educação que nem a Rainha de Inglaterra sabe e uma receita de Bacalhau com natas que Jamie Oliver fez apenas uma vez, em 1992.

http://www.oindesmentivel.com/seccoes/vida/wikileaks-divulga-11%c2%ba-mandamento-biblico-nunca-antes-ouvido

PM disse...

Ó Pina foi pr'aí com 20 valores.

“Aplauso”

Portugal foi muito aplaudido
Lá na Europa bem distante
Neste momento importante
Viu seu esforço reconhecido

Foi feita a prova dos nove
Pelos ministros desta nação
Aprovados com distinção
Agora ninguém os demove

Aprovação tão distinta, ó meu
Há muito tempo que não via
Lembra um exame que deu

Faz anos, na rádio telefonia
O do esternocleidomastoideo
Pelo Vasquinho da anatomia.

Anónimo disse...

A Felicidade vem da Monotonia

Em sua essência a vida é monótona. A felicidade consiste pois numa adaptação razoavelmente exacta à monotonia da vida. Tornarmo-nos monótonos é tornarmo-nos iguais à vida; é, em suma, viver plenamente. E viver plenamente é ser feliz.
Os ilógicos doentes riem - de mau grado, no fundo - da felicidade burguesa, da monotonia da vida do burguês que vive em regularidade quotidiana e, da mulher dele que se entretém no arranjo da casa e se distrai nas minúcias de cuidar dos filhos e fala dos vizinhos e dos conhecidos. Isto, porém, é que é a felicidade.
Parece, a princípio, que as cousas novas é que devem dar prazer ao espírito; mas as cousas novas são poucas e cada uma delas é nova só uma vez. Depois, a sensibilidade é limitada, e não vibra indefinidamente. Um excesso de cousas novas acabará por cansar, porque não há sensibilidade para acompanhar os estímulos dela.
Conformar-se com a monotonia é achar tudo novo sempre. A visão burguesa da vida é a visão científica; porque, com efeito, tudo é sempre novo, e antes de este hoje nunca houve este hoje.

Fernando Pessoa, in 'Reflexões Pessoais'

PM disse...

Ó Pina este economista é que vai dar a volta a isto.

“Economista alentejano”

Andam por aí à molhada
Antigos economistas chefe
Mas a julgar pelo regabofe
De economia não vêem nada

São de Harvard e americanos
Mas os canudos caducaram
É que as previsões falharam
Estão de rastos os fulanos

Antes fossem alentejanos
E compadres do bel canto
A análise demorava anos

O sucesso seria um espanto
Pois mesmo havendo enganos
A crise caducava entretanto.

Zé dos Papéis disse...

Caridade; Não!
Solidariedade social; Sim!

PM disse...

Ó Pina gostaria de falar com Pessoa, mas já que não posso escrevo-lhe.

“Resposta ao Pessoa”

Monotonia cria a felicidade
Afirmas com tanta certeza
Eu contradigo com firmeza
Monotonia será a eternidade

Onde o repouso alcançaste
Mas nós aqui, hoje e agora
Mudamos mil vezes à hora
Na busca do que almejaste

E na nossa mudança constante
Tropeçamos a espaços na vaidade
E com uma máscara feliz andante

Alguns encontram a felicidade
Nesta busca acesa e incessante
Da feliz monotonia da eternidade.

PM disse...

Ó Pina, ou morremos ou obedecemos.

“Spaten”

A Alemanha vai ajudar-nos
Mas não é como o mercado
Não será dado e arregaçado
Serão eles a controlar-nos

É como o filho traquinas
Que cresceu na abundância
Possui sem dar relevância
E o pai trabalha nas minas

Mas esta mãe ao adoptar
Doze filhos desgovernados
Vai pô-los todos a trabalhar

Terão que ser organizados
Se em casa quiserem ficar
Ou então passam a enteados.

Anónimo disse...

A RTP acabou com o contra-informação, o popular programa de sátira em que os políticos eram bonecos manipulados.
Esta decisão insere-se na política da estação de não ter reality shows.

PM disse...

Ó Pina um melãozinho vai?

“O melão”

Surgiu a ideia que faltava
Nos contratos de trabalho
Produto era função do salário
Produtividade não aumentava

Agora é decretado o oposto
A produtividade explodiu
Ganhas como nunca se viu
O país ganhou novo rosto

O PIB um trilião ultrapassou
Dispara em força a exportação
O autor da ideia já se mudou

Foi contratado pr’a nova missão
E logo a produtividade aumentou
Nos campos de produção de melão.

PM disse...

Ó Pina com a economia não se brinca.

“Cubo mágico”

A economia paralela floresce
Não se fala da perpendicular
Consta que está a aumentar
E a piramidal também cresce

A triangular ainda está a dar
Com a circular não há certeza
Diz quem sabe está em beleza
Em todas elas se está a mamar

Assim não chegamos ao Verão
Apontem ao centro nevrálgico
Pode ser que ainda haja solução

Metem-nas todas no cubo mágico
Agitem bem a varinha de condão
Para o nosso final não ser trágico.

PM disse...

Ó Pina corrupção? O que é isso?

“Corrupção”

Verdade não pode escandalizar
Nem mentira pode tirar do sério
De mãos dadas são um mistério
Nunca sabes em qual acreditar

Acredita na mentira que te serve
Rejeita verdade que compromete
Junta ambas e pr’á dúvida remete
Trocando os olhos a quem observe

Lucras sempre tudo jogando assim
E se ainda te acusam de corrupção
Tens um recurso, acredita em mim

Evocas o estado de grande confusão
Não dizes talvez, nem não, nem sim
Fazendo uso duma oportuna omissão.

PM disse...

Ó Pina até a solidariedade está pela hora da morte.

“Rede social”

Vamos criar uma rede social
Para ajudar a nossa sociedade
Que forneça solidariedade
Mas que não seja virtual

Um empréstimo vamos pedir
O nosso sistema bancário
Pode também ser solidário
E a taxa de juro reduzir

Embora não tendo pr’a refeição
As contas teremos que saldar
Por isso tenham muita atenção

Quem a solidariedade utilizar
Use-a com a muita moderação
Que com língua de palmo irá pagar.

PM disse...

Ó Pina o homem tem jeito.

“O Rei”

Meus irmãos regozijemos
Pois o Alberto já anunciou
Que afinal se candidatou
Para que nele todos votemos

Cá para mim é desperdício
Ser presidente do jardim
Seria útil pr’a outro fim
Já o afirmo desde o início

No carnaval em que vivemos
Necessitamos Rei a preceito
Não é lícito que desperdicemos

Uma pessoa com tanto jeito
É pois urgente que avancemos
Com uma petição pr’o efeito.