terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

A Grande Porca de Rafael Bordalo Pinheiro


Cá pelo país está tudo diferente e tudo na mesma. As lutas pelo poder continuam. Os partidos sucedem-se. Ainda há algum tempo em conversa com Rafael falámos sobre isso. E que a política é como uma “grande porca”, ambos concordamos. É na política que todos mamam. E como não chega para todos, parecem bacorinhos que se empurram para ver o que consegue apanhar uma teta.


Ao saberem do nosso regresso já vieram oferecer-lhe novamente o lugar de amanuense na Câmara dos Pares. Rafael tem outros projectos. Não é agora que vai largar as publicações. Ainda para mais já há um capitalista para o ajudar no projecto. Vamos ao trabalho que o primeiro número de António Maria ainda tem que sair este ano.

Ainda é mais cedo do que pensávamos. Pouco barulho que o Rafael já está a fazer a apresentação do jornal:

“Fará todas as diligências para ter razão, empregando ao mesmo tempo esforços titânicos para, de quando em quando ter graça. Possuído destas duas ambições, claro está que o António Maria não tem outro remédio, na maioria dos casos, senão ser oposição declarada e franca aos governos e oposição aberta e sistemática às oposições …”

Os colaboradores dos jornal são gente conhecida, entre eles estão Ramalho, Guilherme Azevedo, Junqueiro e eu, claro! Sim, porque agora nunca nos separamos. Ás vezes parecemos um só. Partilhamos opiniões e vamos tecendo comentários. Ainda para mais temos os mesmo ideais políticos – uma república. É isso que queremos para o nosso país. Que é difícil já o sabemos, pois parece que este país teima em avançar a passo de caracol. Pudera, da forma que as coisas estão… Os políticos discursam sem nada dizer. A Igreja vai vivendo dos rendimentos, e bem bons que eles são. E cá o Zé vai continuando ora com “albarda” às costas, ora a apertar o cinto.

O jornal começa a incomodar. O capitalista que o financia decide cortar as verbas como represália contra o facto de se terem metido com o seu partido. Mas amigos é coisa que não nos falta. Todos juntos conseguem reunir o dinheiro necessário para as despesas. Não é agora que vamos perder a independência.

Em 1885 as coisas complicam-se ainda mais. O governo estabelece medidas censórias. Chamam-lhe a “Lei da Rolha”. Não será esta a única que vez que a instituem.
Aqui os rapazes decidem expressar o seu descontentamento. Rafael sugere que todas as publicações se suspendam por oito dias como medida de protesto. Para alguns a ideia é aceite. Outros não perdem a oportunidade de criticar o meu rapaz: “Ó Bordalo, a ti não te faz diferença. O António Maria só sai uma vez por semana….”
Ora bolas! Ele há coisas que nos ofendem! Pois sim senhor! Para que não haja dúvidas quanto ao que pensamos o António Maria deixará de ser publicado, mas umas palavrinhas terão que ser ditas:
Eu não pertenço ao ajuntamento dos jornalistas, por isso que estou sozinho e não há ajuntamentos só de uma pessoa; eu não pertenço ao grupo monárquico, porque este me chama de revolucionário; eu não pertenço ao partido republicano, porque este me alcunha de vendido. Nestes termos, não podendo ser nem político, nem jornalista vou fazer-me simplesmente operário, o que talvez venha a ser alguma coisa.

In: vidaslusófonas

7 comentários:

Anónimo disse...

meninodeouro
16.02.2010/10:40

É, infelizmente, perante cidadãos e cidadãs com tão graves e básicas ou elementares carências, que assistimos à actividade destes sem-vergonha, sempre a proclamarem-se inocentes perante as evidências dos ilícitos... não merecem o epíteto de porcos [é ofensivo para os ditos suínos, que contribuem, sendo sacrificados, para o nosso alimento]. A mim os suínos não me enojam...!!!

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1496190

Anónimo disse...

Eduardo5290
16.02.2010/11:54

Como simpatizante, militante e financiador do partido desde os anos 80 (não sou "fresquinho" como o Silva Pereira), apelo aos verdadeiros militantes, aos "puros", aos que "lutaram" desde 1974/5, acabem com esta pouca vergonha cuja responsabilidade é do directório actual. HOMENS como Mário Soares, Salgado Zenha e mesmo Guterres (bárbara e cobardemente assassinado por Vara, Capoulas, Sócrates, Estrela, Jorge Coelho, etc), "referências" e essências do PS, são diariamente atraiçoados, vilipendiados por esta corja de incompetentes que governam o partido e (mais grave, o país). Caros camaradas, ESTÁ NA HORA, de varrer a mediocridade e o compadrio. É nosso DEVER PATRIÓTICO, devolvero PS ao PAÍS!!!! Onde está o Alegre? É bom sabermos!!!

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1496190

Anónimo disse...

Noite dos Mascarados
Chico Buarque

- Quem é você?
- Adivinha se gosta de mim
Hoje os dois mascarados procuram os seus namorados perguntando assim:
- Quem é você, diga logo...
- ...que eu quero saber o seu jogo
- ...que eu quero morrer no seu bloco...
- ...que eu quero me arder no seu fogo
- Eu sou seresteiro, poeta e cantor
- O meu tempo inteiro, só zombo do amor
- Eu tenho um pandeiro
- Só quero um violão
- Eu nado em dinheiro
- Não tenho um tostão...Fui porta-estandarte, não sei mais dançar
- Eu, modéstia à parte, nasci prá sambar
- Eu sou tão menina
- Meu tempo passou
- Eu sou colombina
- Eu sou pierrô
Mas é carnaval, não me diga mais quem é você
Amanhã tudo volta ao normal
Deixa a festa acabar, deixa o barco correr, deixa o dia raiar
Que hoje eu sou da maneira que você me quer
O que você pedir eu lhe dou
Seja você quem for, seja o que Deus quiser
Seja você quem for, seja o que Deus quiser

Chico Buarque & Elis Regina: Noite dos mascarados
http://www.youtube.com/watch?v=_e7ah-kyVyE

Anónimo disse...

E tu Opina será que andas atentar mamr na política?!|

Anónimo disse...

N'Kosi Sikeleli Africa- With Miriam Makeba

http://www.youtube.com/watch?v=ow40LQs0ue4&feature=related

Anónimo disse...

MANDELA - 20 ANOS DE LUZ

É só o político e o homem mais extraordinário que conheci pessoalmente em 26 anos de carreira como jornalista!

Completam-se hoje ( no dia 11/02 ) 20 anos que Nelson Mandela foi libertado após 27 anos de prisão por liderar a luta armada contra o sistema de apartheid na África do Sul.

Tinha 71 anos de idade e todas as razões emocionais para responder da mesma forma a quem o humilhou ao ponto de lhe ser negado o direito de assistir ao funeral do filho mais novo, assassinado pelo regime de apartheid.

Madiba escolheu ser antes uma ponte de luz e reconciliação. Um político que exerceu o poder em serviço de valores de solidariedade, humanismo e de reencontro num país em risco de guerra civil.

O resto é História e, para mim, uma experiência de vida, de seis anos, na periferia de alguém que jamais esquecerei, no resto da vida.

http://selvaurbana.blogs.sapo.pt/

Comporta Opina disse...

Talvez o seu problema seja:

A esquizofrenia se caracteriza essencialmente por uma fragmentação da estrutura básica dos processos de pensamento, acompanhada pela dificuldade em estabelecer a distinção entre experiências internas e externas. Embora primariamente uma doença que afeta os processos cognitivos[de conhecimento], os seus efeitos repercutem-se também no comportamento e nas emoções.

Os sintomas da esquizofrenia não são os mesmos de indivíduo para indivíduo, podendo aparecer de forma insidiosa e gradual ou, pelo contrário, manifestar-se de forma explosiva e instantânea.

Estes podem ser divididos em duas grandes categorias: sintomas positivos e negativos.