segunda-feira, 8 de março de 2010

Hoje é dia da Mulher.

7 comentários:

PM disse...

Ó Pina vamos lá com calma que ainda não chegámos ao Brasil, mas já não falta muito.

“Habemus PECD”

Como me dizia amiúde um amigo que veio do Brasil a propósito da evolução da situação económica no nosso país “aquilo que aqui se está a passar já eu vi acontecer há muitos anos no Brasil”, mas tal discurso passava-me um pouco ao lado, pois a realidade que ele me relatava era distante e desconhecida.

Uma outra peça do puzzle chegou com a eleição do presidente Lula da Silva e quando ele afirmou que o seu principal objectivo era o de que “cada brasileiro pudesse ter direito a duas sopas quentes por dia”, parece estranho para nós, mas faz muito sentido quando a maior parte da população passa fome e melhor que ninguém este homem tinha essa consciência.

E apesar da distância e da estranheza das várias peças do puzzle aquilo que eu retivera na memória é que a classe média que era o suporte da economia naquele país foi perdendo poder de compra e a redistribuição da riqueza foi cavando um fosso enorme entre ricos e pobres, onde me contava o meu amigo que o salário de um CEO chegava a ser 1.000 vezes o de um trabalhador e não me enganei em nenhum zero.

Tudo isto deu origem ao aumento da criminalidade e ao recrudescer da economia paralela - onde ambas andam sempre de braço dado - em proporções gigantescas e com enormes percas para o aparelho do estado, mas fomentado por quem actua à margem da lei e com isso obtém enormes ganhos.

Este percurso está de certa forma a ser invertido por este presidente, mas foi segundo o meu amigo um caminho doloroso que levou à quase destruição da classe média e à fuga de muita da receita do estado para os mercados paralelos por via da destruição desta massa de contribuintes que gerava grande parte da receita pública.

É por isso que ele me dizia que “o pessoal aqui anda um pouco adormecido com essa história da economia da Grécia, mas o verdadeiro perigo é que eu vejo que está a acontecer aqui o mesmo que aconteceu ao Brasil no passado”, e cujas sequelas apesar do enorme esforço de recuperação, ainda hoje persistem em grande escala.

Este cenário que ele me relatava não fazia grande sentido para mim, mas começa agora a fazer quando observo o aparecimento de algumas formas de criminalidade até aqui desconhecidas, o crescimento da economia paralela para proveito de alguns, a aprovação de medidas de redução de protecção social, tudo em desfavor da tal classe média e contidas no salvador Plano de Estabilidade e Crescimento das Desigualdades.

Anónimo disse...

O ANTIGO PROFESSOR? ADELINO TEM A MANIA QUE ESCREVE EM ALENTEJANES BEM MAS A ESCRITA DO BLOG DELE É SÓ PARA OFENDER, AINDA ANDA A CAMARA A SUSTENTAR COM 20 000 EUROS ANUAIS AQUELE TEATRO DO RIO

PM disse...

Ó Pina os sacrifícios vão começar ?

“O sacrifício”

Teixeira dos Santos reafirmou hoje que o esforço para reduzir a despesa deve ser dividido, questionando os críticos sobre quem deve pagar a factura se a classe média não for sacrificada. Então vamos sacrificar os pobres ?

Sabendo-se que sacrifício é a prática de oferecer como alimento a vida de animais, humanos ou não, aos deuses, como acto de propiciação ou culto e que o termo é usado também metaforicamente para descrever actos de altruísmo, abnegação e renúncia em favor de outrem.

Sabendo-se ainda que a grande escola é o amor: as exigências do amor levam a grandes heroísmos e que quando o amor é verdadeiro, o sacrifício não dói; o amor faz estimar como bem próprio o que é um dever.

Noutras circunstâncias talvez, se nos sentíssemos respeitados, se houvesse alguma dignidade e igualdade no trato, se a coisas nos fossem explicadas com clareza e transparência, se não fossemos apenas carne para sacrifício, então aí sim aceitaríamos ser sacrificados.

Se não fossemos apenas, aceitaríamos, parece uma contradição mas não, tem tudo a ver com as premissas, pois aos deuses e por amor nenhum sacrifício é negado, mas como não vos consideramos como deuses nem morremos de amores por vós, é pois certo e sabido que não estamos dispostos a ser sacrificados às vossas mãos.

Se é certo que a deuses nunca chegareis, tereis pois que encontrar outra forma de saciar esse vosso apetite voraz, ou porventura tereis que travestir as vossas almas, vendê-las ao diabo quem sabe, para vos purificardes e puderdes assim aspirar a que nos apaixone-mos por vossas almas renascidas e aceitemos por amor o sacrifício.

PM disse...

Ò Pina, vamos lá com calma, o comporta-opina só publica conteúdos idóneos?
Não me parece, publica então difamações sobre o Professor Adelino?!

Tiago Simões Santos disse...

Se o senhor fosse um homem com H grande... não publicaria calúnias acerca do único professor da escola que eu gosto.
O professor Adelino é meu professor e com muito orgulho meu.
Um dos meus melhores.
Mas o senhor que vive para aí como um aldeão que não sabe o que se passa nesta cidade, não hesita em publicar infâmias sobre as pessoas.~
O senhor que me parecia até ser uma pessoa de algum nível, acaba de descer ao nível das pessoas sem escrúpulos que só servem para caluniar e difamar.
Vá-se tratar que bem precisa.
A sua paranóia tem que ter algum limite.
Ponha a mão na consciencia só sabe dizer mal da Cdu e agora até diz mal dos seus.
Paranóico!

Zé dos papéis disse...

Ó Pina,então?
A liberdade de expressão é um valor a preservar, mas a verdade deve prevalecer! Não te manifestas?!
Não sei qual é o blog do professor Adelino. Mas todos nós sabemos o muito que esta cidade lhe deve.
E o Teatro do Rio é demasiado importante para ser enxovalhado desta forma.

Zé dos papéis disse...

Take it easy!
Percebo a indignação que vem desse lado. Quanto atacam pessoas que estimo também fico capaz de “partir a loiça… a mesa e as cadeiras”. Ferros em brasa pelo c… é pouco.
Deixando os impropérios de lado – aqui não há PM,suponho que Putas ou Paneleiros de Merda – vamos lá ver se nos entendemos. Acho que o faremos com facilidade.
Aqui do Monte não se pretendeu atacar ninguém! Pelo Contrário. Se não foi claro o comentário só podemos lamentar.
Pelas referências ao Gatec deduzi que no Comporta Opina se tenha muito proximidade com o Professor Adelino. Por aqui, também, lhe temos muita estima - a Mena guarda boas memórias do tempo em que foi sua aluna e eu aprendi admirar o seu trabalho.
Ficamos f… com o comentário que aí foi publicado. Até percebo a estratégia: a liberdade de expressão é um valor fundamental, para além disso, ás vezes é útil expor as imbecilidades para melhor as desmontar.
E se te pedimos para te manifestares foi porque, porra, ficamos perplexos. Era mais um apelo a pedir que fosse reposta a verdade. Tipo, não deixes passar impune o comentário, dá-lhe na cabeça sem piedade.
Só isso. Nunca nos passou pela cabeça que pudesse ser entendido de outra forma!
Vai aparecendo pelo Monte. Virás sempre a tempo de mais uma Bejeca!